Pelé, o filme.

Pelé, o nascimento de uma lenda. filme dos diretores Jeff e Michael Zimbalist, que convida os atores Kevin de Paula, Leonardo L. Carvalho, Seu Jorge e Milton Gonçalves para os principais personagens. É uma produção norte americana, de 2016.

Ao observar alguns comentários, de críticos de cinema brasileiros, os avalio como extremamente apequenados.

Parecem vitimas da epidemia e síndrome de “o que se exalta sobre o Brasil não tem valor, não merece ser mostrado”.

Considero o filme de excelente produção cinematográfica, um roteiro bem produzido, com sequências de emoção e dinâmicas que não deixam o público entediado.

O filme tem uma pegada vibrante, com uma seleção musical integrada. Excelente oportunidade aos professores e educadores sociais debaterem sobre a realidade brasileira, principalmente se produzirem uma dupla apresentação com o Black Panther. Um herói dos quadrinhos a se comparar com um personagem histórico, de reconhecimento internacional pelos seus feitos. Uma oportunidade interessante para se discutir a importância das relações familiares, do apoio dos amigos de infância e do território de moradia, dos desafios que a vida proporciona, da importância da ponderação nas tomadas de decisão, da temática da negritude no Brasil e no mundo, do bullying e dos preconceitos.

É relativizado o debate sobre o que é verídico ou ficção, pois todo filme é, por natureza, uma ficção, e na verdade reflete o olhar do roteirista e do cineasta. Neste caso, em ambos os filmes, há o debate sobre o respeito aos valores humanos e há a imbricação com a afetividade.

Odair Marques da Silva,  2018, www.gpsdacultura.com.br.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X